Acontece

Últimos acontecimentos mundiais comentados e contextualizados.

Frio intenso

30/07/2021
Temperatura abaixo do normal revela consequências do aquecimento global.

Neve em São Paulo? Geada no Rio de Janeiro? A chegada de uma forte massa de ar polar que, segundo os meteorologistas, está causando uma queda histórica nas temperaturas de todo o Brasil, começou na noite da última terça-feira e se estende até o próximo domingo, 01/08.

Com chuva intensa, ventos fortes e uma sensação térmica que pode chegar até -25ºC em algumas regiões, os brasileiros devem se preparar para dias muito gelados.

Mas como explicar essa onda de frio que chegou no país prometendo fazer todo mundo tirar os casacos do armário?

Embora nesta época do ano seja bastante comum vivenciarmos essas passagens de massas de ar frio, a frequência e magnitude desse tipo de fenômeno podem ter sido alteradas pelas chamadas mudanças climáticas.

De acordo com Francisco de Assis, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), essa massa de ar que se instalou no Brasil será a terceira de grande porte ocorrida neste ano. Segundo Francisco, o mais comum é uma ou duas ocorrências significativas por ano, e essa alteração está associada à alta variabilidade climática e ao aquecimento global.

Frio por aqui e calor intenso no Hemisfério Norte

Para quem não está antenado aos acontecimentos, pode até achar que “São Pedro” enlouqueceu. Mas, brincadeiras à parte, realmente temos visto que em vários lugares do mundo o clima anda bem diferente do normal.

Da mesma maneira que estamos presenciando um frio extremo e incomum por aqui, temos notícias do calor intenso no Hemisfério Norte. No início do mês julho, uma onda de calor sem precedentes assolou países como Canadá e os Estados Unidos, num evento que recebeu o nome de Cúpula de calor (que significa alta pressão estática e atua como uma “tampa de panela”).

A situação foi tão grave que os países emitiram alertas aos moradores sobre os perigos relacionados aos níveis de calor. Para os especialistas, o fenômeno no Hemisfério Norte está associado às mudanças climáticas, assim como o que está acontecendo aqui no Brasil neste momento.

Um evento climático sempre em pauta

Não é de hoje que ouvimos falar sobre as mudanças climáticas, que significam a variação do clima em escala global ou dos climas regionais da Terra ao longo do tempo. Essas variações dizem respeito às mudanças de temperatura, precipitação, nebulosidade e outros fenômenos climáticos em relação às médias históricas. Vistas como o fator de maior grau na escala de motivos para possíveis conflitos no mundo, as mudanças climáticas vêm, há muito tempo, desestabilizando as condições de vida na Terra.

E essa onda de frio extremo que chegou ao Brasil confirma a tese de que o planeta está de fato aquecendo em função das mudanças climáticas. Infelizmente, a queima de combustíveis fósseis (carvão e petróleo) e o desmatamento acabam aumentando a quantidade de gases causadores do efeito estufa.

Estes gases dificultam a dispersão do calor dos raios solares que atingem o planeta fazendo com que aqueçam além do normal. Com a temperatura mais alta, é normal uma aceleração no processo de evaporação da água, facilitando assim a ocorrência de temporais.

Planeta quente é sinônimo de menos frio?

Não. Embora a palavra “aquecimento” nos remeta apenas à ideia de “calor”, essa alta na temperatura global não impede o favorecimento de ondas de frio; pelo contrário, é provável que - pela desestabilização da temperatura de forma geral - elas se intensifiquem cada vez mais ao longo dos anos, como já havia sido previsto por especialistas há cerca de 15 anos.

De acordo com estudos sobre o tema, dos cenários projetados para 2030 ou 2050, o planeta está caminhando para os patamares mais perigosos possíveis.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar, você concorda com nossa política de privacidade.