Papo Sério

Falta de concentração

Como e por que os adolescentes sofrem com o problema

A falta de concentração é uma dificuldade crescente para os adolescentes, tanto para quem estuda como principalmente para quem vai fazer as provas de vestibular/ENEM pela primeira vez, quando a atenção é uma dos fatores mais importantes para o sucesso.

A dificuldade para se concentrar é frequente para os mais jovens, não só com relação aos estudos, mas também em outras partes da vida, como prestar atenção a um filme ou participar ativamente de uma conversa. E não é e se espantar: basta olhar em volta do quarto de um jovem para se identificar vários motivos para desviar a atenção da atividade que ele está realizando: internet com redes sociais, videogames, televisão, música, revistas e até uma confortável cama convidando para aquele sono reparador.

Com todos estes dispersadores de atenção, realmente fica difícil se concentrar em uma tarefa específica. E não é só dentro de casa: as ruas estão cheias de anúncios, placas de publicidades, há o trânsito e até mesmo a violência urbana para contribuir com a falta de concentração. O jeito é começar desde cedo a se policiar e tentar evitar estes desvios, mantendo o foco naquilo que realmente importa.

Vale lembrar que se hoje a família enfrenta este problema, a tendência é que ele se repita no futuro. Dá para imaginar um médico realizando uma cirurgia sem estar 100% focado? Ou um engenheiro emitindo um laudo para construções com a atenção desviada para outros assuntos? Claro que não, certo? Por isso, o mais importante é tentar combater a falta de concentração e evitar que ela se torne um comportamento fixo na vida do adolescente. Alguns exercícios podem ajudar, assim como a mudança de rotinas que já fazem parte da vida dele, como fazer as refeições ao mesmo tempo em que assiste TV ou navega na internet. Quando isso ocorre, o jovem está "ensinando" a seu corpo a se dispersar e desviar a atenção de um único foco.

Os exercícios físicos regulares podem ajudar a trabalhar a atenção e evitando dispersões. A prática de meditação também é bastante elogiada por adultos e por profissionais envolvidos com rotinas estressantes. Ela favorece a concentração e faz com que a pessoa comece a conhecer melhor seu corpo, além de melhorar a respiração, um importante passo para reduzir a ansiedade, característica muito comum nos desatentos.

Alguns jogos que exigem concentração por longos períodos também são importantes ferramentas para "treinar" a atenção e a visão focada em um objetivo. Quebra-cabeças, palavras cruzadas e Sudoku são bons exemplos, assim como até mesmo jogos de estratégia no computador.

Transtorno do Déficit de Atenção

Quando a falta de concentração atinge níveis extremos e vem acompanhada de outros sintomas, pode estar formado um quadro de Transtorno do Déficit de Atenção. Este distúrbio tem como características básicas os sinais repetitivos de desatenção, inquietude e impulsividade, podendo ser tratado com medicamentos ou acompanhamento psicológico.

Antes de qualquer diagnóstico precipitado é importante consultar um médico para saber qualificar o problema. Muitas vezes o que ocorre é apenas hiperatividade misturada com alguns comportamentos que favorecem a perda da concentração.