Nos Tempos do Coronavírus

Aqui os pais encontram dicas para lidar com o recesso escolar.

Crianças na cozinha

Compartilhe: Twitter Facebook Windows Live del.icio.us Digg StumbleUpon Google


No corre-corre dos tempos pré-quarentena, as crianças geralmente  não tinham muita chance na cozinha. Suas ofertas de ajuda nem sempre eram bem recebidas, porque os pais queriam agilizar sua tarefa.

Mas em tempos de quarentena, a cozinha pode ser um ótimo espaço para o convívio social, e o engajamento das crianças em novas atividades.
Entretanto, a primeira preocupação é com a segurança: crianças longe do fogo, do calor do forno, de eletrodomésticos, de objetos cortantes como facas e abridores. Com os mais velhos e os adolescentes as regras podem ser menos rígidas, mas sempre vale a recomendação. Afinal quem nunca colocou metal no micro-ondas, mesmo sabendo que não pode ser feito?

Não temos uma receita única para isso. Então, mãos na massa...

Antes de convidar a criança para ajudar na cozinha, estabeleça mentalmente o que ela poderá fazer. Para os pequenos, atividades como misturar massas, pegar ingredientes no armário ou na geladeira (desde que estejam ao alcance deles), para uma receita, quebrar ovos (se não for preciso separar clara e gema), peneirar farinha ou açúcar, desfolhar ervas, untar formas. Para os maiores, descascar alimentos com descascador, preparar receitas de bolos, seguindo uma receita, higienizar verduras na secadora, preparar sucos ou shakes, por a mesa, retirar os pratos, por a louca no lava-louças.

Essas tarefas também são uma oportunidade de aprendizagem. Os menores podem contar os ingredientes, separar metades ou frações, ler a receita, fazer medições com copos ou jarras de medidas. Você pode falar também sobre a origem dos alimentos, de onde vêm, como são feitos.
A preocupação com o desperdício e com a reciclagem dos resíduos pode  permear as conversas, assim como a separação do lixo.